Você está aqui:    Home      Economia      Salário mínimo será reajustado de 1039 reais para 1045 reais

Salário mínimo será reajustado de 1039 reais para 1045 reais

15 de janeiro de 2020
Publicado emEconomia, Home, Notícias, Slider

Valor anterior, anunciado no dia 31 de dezembro, considerou uma taxa menor de inflação no cálculo do reajuste

O governo Bolsonaro afirmou, nesta terça-feira 14, que irá reajustar o valor do salário mínimo de 1.039 reais para 1.045 reais. Já se especulava que a conta fosse refeita devido a um cálculo que considerou uma inflação mais baixa do que a recentemente divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2019, o valor era de 998 reais.

A decisão foi tomada após uma reunião do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na tarde desta terça-feira. O novo valor entra em vigor a partir de fevereiro. Por conta disso, o governo deverá editar uma nova Medida Provisória (MP) para encaminhar ao Congresso, que deve aprovar a proposta em até 60 dias.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) fechou 2019 com alta de 4,48%, de acordo com os dados divulgados na semana passada. Por lei, esse é o índice usado para o reajuste do salário mínimo, embora a inflação oficial seja a medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que fechou o ano de 2019 em 4,31%.

“Acho que tem brecha para a gente atender [o reajuste]. A inflação de dezembro foi atípica [com] pico por causa do preço da carne. A ideia é [repor] a inflação, o mínimo, né?! Agora, cada um real [de reajuste] aumenta mais ou menos R$ 300 milhões no orçamento. A barra é pesada. Apesar de ser pouco o aumento, R$ 4 ou R$ 5, mas tem que recompor”, disse o presidente ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira.

INSS e reformas
O governo pretende ainda anunciar nesta semana medidas para diminuir a fila de espera por benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). De acordo com Bolsonaro, uma dessas medidas deve ser a contratação de servidores ou militares da reserva.

“A gente pretende contratar, a lei permite, servidores ou militares da reserva pagando 30% a mais do que eles ganham, para a gente romper essa fila que aumentou muito por ocasião da tramitação da reforma da Previdência”, explicou o presidente.

Sobre as reformas tributária e administrativa que o governo deve enviar esse ano ao Congresso, Bolsonaro disse que está confiante na aprovação, “sem muito atrito” com o Legislativo.

“A minha ideia é fazer da melhor maneira possível para que possa ser aprovada sem muito atrito. A economia está recuperando, mas se nós pararmos na reforma [da Previdência] pode perder o que ganhou até agora. O Congresso está bastante consciente disso, acredito que não tenhamos grande dificuldades se apresentarmos boas propostas”, disse.

*Com informações da Agência Brasil
Fonte: Carta Capital

Postar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*