Você está aqui:    Home      Economia      Importação de cuchê acumula queda de 41% no primeiro trimestre

Importação de cuchê acumula queda de 41% no primeiro trimestre

6 de junho de 2016
por cason
Publicado emEconomia, Home, Notícias

Depois de dois trimestres em queda acentuada, a importação de papéis cuchê voltou a crescer, em março. Pelos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), disponíveis no Sistema AliceWeb, as entradas de papéis – nas quatro NCMs (Nomenclatura Comum do Mercosul) que compõem o grupo de cuchê – somaram 36 mil toneladas em 2016, sendo: 10,95 mil toneladas em janeiro, 11,08 mil toneladas em fevereiro e 13,98 mil toneladas em março. O volume do primeiro trimestre deste ano caiu 41% em relação as 61,4 mil toneladas desembarcadas entre janeiro e março de 2015.

As importações seguiram em queda no ano passado, somando 38,2 mil toneladas entre abril e junho. Nos três meses seguintes, os importadores receberam 33,1 mil toneladas de cuchê, conforme o sistema oficial, que registrou a entrada de 22,9 mil toneladas no último trimestre de 2015.

Na avaliação da Andipa, o acirramento do mercado de cuchê e a queda na demanda, provocada pela retração econômica do País, fizeram com que os importadores reduzissem os pedidos aos fabricantes internacionais, resultando na entrada de volumes menores no segundo trimestre do ano passado. Vale observar que a importação exige programação antecipada de compras, com prazo médio de entrega de dois meses, dependendo do país de origem, considerando o tempo de produção, embarque e desembaraço.

Fornecedores

Os papéis cuchês são classificados em uma das quatro NCMs – 4810.13.89; 4810.13.90; 4810.19.89; e 4810.19.90 – conforme suas especificações e formato. O último item é o que tem maior demanda no mercado brasileiro, respondendo por 16 mil toneladas, 44,5% do total importado no trimestre. Em seguida, com 32% do volume, vêm os papéis classificados na NCM 4810.19.89.

A origem do produto também depende da especificação do cuchê. De acordo com os dados do Sistema AliceWeb, os papéis recebidos pelo Brasil entre janeiro e março de 2016 vieram de dezessete países, sendo os maiores volumes provenientes da Áustria, China, Espanha, Estados Unidos, Finlândia e Itália.

Fonte: Andipa

Postar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*