Você está aqui:    Home      Home      CEO da Pöyry defende recarbonização como próximo passo para a indústria de papel, em evento da Confederação Europeia

CEO da Pöyry defende recarbonização como próximo passo para a indústria de papel, em evento da Confederação Europeia

8 de julho de 2016
por cason
Publicado emHome, Notícias

A substituição de materiais não renováveis, como metais, minerais e materiais à base de combustíveis fósseis, por biomateriais emergentes permite o aprisionamento do carbono em ciclos de produtos mais sustentáveis. É o que defendeu Martin à Porta, CEO da Pöyry, durante o CEO Forum, encontro anual promovido recentemente pela Confederação Europeia das Indústrias de Papel (CEPI), no qual sugeriu a convergência de dois temas importantes ligados à bioeconomia: a recarbonização dos materiais e a descarbonização da energia.

the-recarbonisation-trilogyTomando por base pesquisa conduzida por Petri Vasara, head de Biofutures da Pöyry, e publicada no documento “The Recarbonisation Trilogy”, à Porta destacou que com o mundo enfrentando a questão das mudanças climáticas e, simultaneamente, testemunhando novos desenvolvimentos em tecnologia e ciências dos materiais, essa convergência transforma a revolução da recarbonização global dos fluxos de materiais em uma oportunidade de negócios multibilionária para a indústria de recarbonisation-revolution

Pöyry destacou ainda que, embora movimente hoje apenas 1% do negócio global de embalagens, plásticos e algodão, em termos financeiros, este negócio equivale a aproximadamente € 10 bilhões em receitas anuais dentro de uma economia sustentável, enquanto ajuda o mundo a enfrentar a questão das mudanças climáticas. “Este número poderia saltar para € 40 bilhões/ano se substituíssemos hoje 1% do volume global de combustíveis fósseis por biomassa já processada na indústria de base florestal”, acrescentou.

Segundo à Porta, novos desenvolvimentos em tecnologia e ciências dos materiais vêm tornando possível e desejável que esses movimentos ocorram. Ele destaca, por exemplo, a lignina, o açúcar, a nanocelulose e o grafeno como exemplos de matérias-primas nas quais a recarbonização pode ser verdadeiramente eficaz. Os três primeiros são à base de carbono, enquanto o grafeno é carbono puro, o que significa que eles têm potencial de mudar radicalmente o mundo dos materiais.

O documento “The Recarbornisation Trilhogy” está disponível no seguinte link: http://www.poyry.com/news/articles/recarbonisation-revolution

Fonte: Celulose online

Postar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*