Você está aqui:    Home      Home      Centrais Sindicais mobilizadas para barrar Carteira Verde Amarela

Centrais Sindicais mobilizadas para barrar Carteira Verde Amarela

9 de março de 2020

A comissão mista, formada por deputados e senadores, que analisa a Medida Provisória (MP) quer votar nesta terça-feira (10) o relatório do deputado Christino Áureo (PP-RJ)

Centrais sindicais estão mobilizadas para barra no Congresso a Medida Provisória (MP) 905, que instituiu a carteira de trabalho Verde e Amarelo, flexibilizando e reduzindo vários direitos consagrados pela legislação trabalhista e a Constituição.

A comissão mista, formada por deputados e senadores, que analisa a Medida Provisória (MP) quer votar nesta terça-feira (10) o relatório do deputado Christino Áureo (PP-RJ).

A vice-líder da Minoria na Câmara dos Deputados, Alice Portugal (PCdoB-BA), diz que a medida, entre outras maldades, vai promover o desemprego, enfraquecer a fiscalização do trabalho e taxar o salário-desemprego para bancar as isenções.

O presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), Adilson Araújo, diz que é fundamental fortalecer a articulação política e aumentar a pressão para barrar mais esse ataque aos direitos sociais e trabalhistas.

“A medida vai facilitar a demissão de trabalhadores, enfraquecer definitivamente os mecanismos de registro e de fiscalização do trabalho, liberar o trabalho aos domingos e feriados, taxar o salário-desemprego para bancar as isenções em benefício dos patrões, sacrificando ainda mais o desempregado”, denunciou.

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, reforça que o programa é um desmonte de todos os direitos da classe trabalhadora conquistados ao longo de 100 anos.

Sérgio afirmou que a pressão continuará: “vamos lotar o Senado na próxima terça-feira contra essa medida que retira e precariza direitos da classe trabalhadora”.

“A introdução da Carteira Verde e Amarela, na verdade, é o trabalho escravo, o trabalho sem direito nenhum. Nós queremos empregos, mas emprego de qualidade, bem remunerados. É esse tipo de emprego que faz nosso país se desenvolver”.

Com informações das Centrais

Postar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*